Wednesday, September 29, 2010

PALÁCIO DE CRISTAL - LONDRES (INGLATERRA)

A maior influencia da arquitetura industrial, foi o Palácio de Cristal, construído em dez meses, todo em  ferro fundido de forma estrutural. Localizado em Londres, Inglaterra, palco da Grande Exposição em 1851, primeira grande feira internacional e abrigou obras de arte, peças industriais e novas invenções do mundo inteiro. O vencedor do concurso do projeto para a construção dessa extraordinária estrutura no Hyde Park,  foi do arquiteto e paisagista Joseph Paxton (construtor de estufas) e a emprêsa de construção Fox&Henderson, associados ao vidraceiro R. L. Chance.

As Exposições Industriais surgiram após a Revolução Industrial para divulgar os produtos industrializados da época, quando se introduziu uma nova linguagem na arquitetura e o marco foi esse grande pavilhão todo em ferro, de fácil construção que podia ser desmontado e montado posteriormente. Nesse período ocorrem ocupações de grandes áreas para estas construções com linguagem associada ao neoclássico, onde elementos greco-romanos eram usados de forma decorativa.
Sempre atento aos sistemas estruturais leves e econômicos para coberturas de suas estufas, Paxton observou experiências realizadas com sementes de um nenúfar gigante e em estufas onde conseguiram germinar essas sementes, cuja flor recebeu o nome de Vitória-régia (homenagem à Rainha Vitória). Baseado na estrutura resistente desta planta, desenvolveu o projeto para essa grande edificação.

Outro marco do Palácio foi o método de sua construção: todas as peças foram pré-fabricadas e apenas montadas no local. Hoje em dia isso é comum na construção de prédios, na época era utilizado apenas em ferrovias. 

Área coberta de 90 000 m2, o Palácio de Cristal apresentava 563 metros de comprimento total, tendo o transepto 124 metros e uma altura máxima de 33 metros no cruzamento das naves onde foram colocados grandes ulmeiros. Naves laterais com três pisos. Planta em elemento modular de 7,32x7,32 metros para facilitar a planificação e a montagem. Pilares em amarelo, vigas em azul e asnas em vermelho, o que permitia identificar a função de cada elemento dentro do sistema estrutural. Cobertura construída seguindo o princípio já utilizado por Paxton duas águas de vidro que se repetiam por toda a extensão da planta.
A construção consumiu 1/3 do ferro produzido na Inglaterra na época; o projeto reproduziu elementos do gótico, mantendo a mesma modulação e utilizou 1/3 da produção de vidro anual da Inglaterra; inaugurou o sistema de construções pré-fabricadas; tinha leveza por meio dos pilares de ferro, mais finos do que seriam numa construção convencional em função do material usado (tecnologia); ocorre o desenvolvimento da treliça (desenho das estruturas em ferro).
                               

Depois da exposição, o Palácio de Cristal foi desmontado e transportado para um terreno em Sydenham (sul de Londres). Durante a reconstrução, 1853/1854, foram feitas algumas alterações das quais a mais significativa foi a abóbada cilíndrica colocada sobre a grande nave central. Este edifício foi destruído por um incêndio em 1936.
Pesquisa feita na internet.

No comments:

Post a Comment

Post a Comment